terça-feira, agosto 26, 2008
Meus mangás do momento
Erick Vasconcelos / 11:44 PM
Na Liberalismo tr00, eu expliquei alguns temas liberais e anarquistas do mangá de Yu Yu Hakusho (que tem uma história bastante diferente da do anime no final):
Bom, pra quem não sabe, Yusuke e seus amigos têm que lutar contra invasores do mundo dos demônios no mundo dos humanos. O mundo espiritual é o intermediário entre os dois.

Sempre houve uma barreira entre o mundo dos humanos e o dos demônios e a barreira era justificada porque se assumia que os demônios eram naturalmente violentos e hostis à humanidade. A barreira evitava que a maior parte dos demônios (inclusive os mais fortes) fosse para o mundo real e colocasse a vida das pessoas comuns em risco.

Acontece que, após uma investigação, o Koenma, filho de Enma Daio (Enma Daio é o chefão do purgatório -- mundo espiritual --, na tradição japonesa ele é quem direciona os espíritos para o inferno ou para o paraíso), descobriu que a barreira não passava de um artifício do mundo espiritual (que servia como governo do além) para aumentar o seu poder.

O mundo espiritual tomava o controle da mente de demônios mais fracos e os jogava no mundo dos humanos para cometer crimes. Assim, ele chamava o "detetive sobrenatural" Yusuke para derrotar os demônios "inimigos" e justificava a barreira que mantinha entre os dois mundos.

Na verdade, os demônios não eram inerentemente hostis à humanidade. Uma minoria evidentemente cometiam crimes, mas não era regra geral. O mundo espiritual apenas incriminou alguns demônios e criou uma sensação de insegurança que justificava que ele expandisse seus poderes sobre ambos os mundos. Alguém sente algum liberalismo ou anarquismo aí?

No final, a barreira é quebrada com a descoberta da fraude e é instituída a livre imigração entre os dois mundos.

Mais tarde um grupo de radicais religiosos anti-demônios aparece e barbariza o mundo espiritual, exigindo que seja reerguida a barreira. Se a barreira não fosse reerguida, eles vaporizariam uma cidade do Japão.

A mensagem basicamente era que os demônios eram pacíficos e que apenas uns fanáticos estavam dispostos a destruir tudo para manter o próprio controle. Maneiro ou não?
Se Yu Yu Hakusho é bastante interessante politicamente (apesar de serem apenas laterais à história), Gunnm (chamado de Battle Angel Alita nos EUA), outro mangá que estou lendo, utiliza muito mal seus temas políticos.

Até o volume 15, que é onde eu estou (são 18 volumes brasileiros, 9 na edição japonesa), o mangá mal fala dos problemas políticos que são tão centrais à história. O enredo é mais ou menos o seguinte: a ciborgue gatinha Gally (Alita na versão americana) é encontrada em estado de animação suspensa num monte de sucata por Ido, que dá a ela um novo corpo mecânico. Eles passam a viver juntos na Cidade da Sucata, que é o lixão da cidade voadora de Zalem. A Cidade da Sucata serve basicamente como sustentáculo de Zalem: fornece seus mantimentos, acumula seus detritos, enfim, é o cenário normal de ficção científica -- um monte de lixo e gente acabada.

Aparentemente um dos temas centrais do mangá seria como os habitantes da superfície (como são chamados os lugares que não são a cidade de Zalem) reagem á opressão da gente da cidade voadora. Mas nem é. Ficam o tempo inteiro explodindo cérebros, mutilando ciborgues e alterando malucamente a personalidade de Gally. E eu tenho certos problemas com splatters de longa data. Enfim.

O mais interessante é que Yu Yu Hakusho, mesmo abordando um tema tangencial à história conseguiu fazer algo sensacional, e Gunnm mal utiliza um dos seus temas principais. Go figure.